O site pretende explorar temas da psiquiatria e conceitos da psicologia jungiana em filmes de cinema.

Moonlight- sob a luz do luar

ATENÇÃO: A HISTÓRIA DO FILME PODE SER REVELADA NO POST. FICA A SUGESTÃO DE ASSISTÍ-LO PREVIAMENTE

MoonlightSinopse: Trata-se da história do crescimento de um garoto negro na periferia de Miami.

O filme traz claros questionamentos e reflexões sobre aspectos sociais que, no entanto, não irei focar nesse texto. Me deterei basicamente na personagem principal.

 

O filme é própria linha do tempo, o caminho do negro Chiron em busca de sua identidade.

A Trajetória

Há uma imensa falta materna em Chiron, claramente percebida na sua postura cambaleante frente ao mundo. Não há segurança para gostar de si mesmo quando não se foi espelhado pelos olhos maternos. O protagonista é silencioso mas não nos enganamos quando ouvimos os gritos calados que existem em seu desconhecimento frente ao mundo e à sua falta de orientação para viver. A figura do pai biológico está ausente também. Surgem dois substitutos materno e paterno, Teresa e Blue, que acolhem o garoto em sua busca por si mesmo mas, com a morte precoce de Blue, Little segue sem fortes modelos estruturantes. Lançado na adolescência, acompanhamos Chiron em sua dificuldade de pertencer a um grupo, fator importante para a aquisição de autoconfiança e estima. Apartado de seus iguais, não pode compartilhar suas angústias frente à aquisição de independência e autonomia, próprias deste momento da vida. Chiron descobre sua homossexualidade com Kevin, o único rapaz com quem tem alguma proximidade. Entretanto, essa possibilidade de vivência do amor lhe é prontamente roubada pela traição de Kevin, imposta pelo grupo. Num rompante de brutalidade e vingado através da agressão física, Chiron é punido e preso. Agora um adulto, somos apresentados à Black, um corpo forte e viril que encobre a mesma fragilidade interior do garoto Little. Um adulto construído numa couraça protetora contra toda a dor vivida e contra a frustração de não ter descoberto sua verdadeira essência. Evidenciando sua escolha de vida dentre as poucas referências que teve, Black adota a persona de um traficante como forma de amparo àquele que não foi amado e que “nunca mais foi tocado… nunca…”, como declara a Kevin, numa das últimas cenas.

Simbolismo do Negro

O negro é a melancolia saturniana descrita desde tempos antigos. É o silêncio, o infinito, a solidão. O negro é o início, prenhe de tudo que pode vir a ser, a potencialidade da transformação. Chiron é tudo isso. É o desejo de vir a ser, de brotar e crescer em sua essência e conquista de identidade. E tudo vai sendo dito pelo sufocado silêncio de Chiron perante a vida que se desenrola à sua frente e lhe deixa poucas escolhas. O personagem carrega uma solidão infinita durante todo o filme e que nitidamente enxergamos no olhar carente e sincero que dirige à Kevin na cena final da película. E, assim como o negro contém o início e o fim de todas as coisas, o garoto Little torna-se Black ao final, nome escolhido por Chiron adulto, espelhado em Blue, sua única e forte referência de vida madura.

Simbolismo da Lua

“Moonlight”, o nome do filme, nos entrega à lua e seus ciclos, aos três momentos da história de Chiron, às fases da vida de todos nós. Além de simbolizar a transitoriedade, na lua está também o feminino passivo que transborda no personagem durante todo o filme; a entrega e receptividade que lhe são marcantes, fazendo de Chiron, uma figura plenamente lunar. E é dessa mesma lua de prata, o brilho refletido que emana dos olhos brancos e puros de Chiron. Além disso, tudo que vem e vai, os ciclos das marés, morte e renascimento pertencem à lua e a tornam um símbolo do fecundo e do que pode nascer. Até onde o filme nos leva, ao lado da trajetória de Chiron, testemunhamos o que foi e o que veio a se ser em sua vida.

Simbolismo do Azul

O azul é a cor fria, da profundidade do oceano. O mar está presente em momentos marcantes da vida de Chiron. Ainda garoto, é no mar que se dá seu principal contato afetivo com Blue, uma figura masculina. Através dele e do simbolismo de seu nome, “azul”, cor da lealdade e fidelidade, Chiron pode provar tais sentimentos. Agora adolescente, também é diante do oceano que Chiron descobre sua sexualidade e o amor pelo colega Kevin. E na imagem que finaliza o filme, temos de volta o garoto negro diante do mar azul, coberto por um longo luar.

Enfim, as cores se fundem. O negro do céu e da pele do protagonista, permeados pelo brilho selênico definem as nuances azuis do mar, a cor da longa tristeza que o filme carrega.

 

 

0 comentários:

Postar um comentário

 

Curta nossa página!

Siga o site para receber notificações sobre as postagens!

Copyright 2017 Psique Cinema - Todos os direitos reservados.